quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

O PEQUENO NÚMERO DAQUELES QUE SERÃO ALVOS - SÃO LEONARDO DE PORTO MAURÍCIO

"A doutrina de São Leonardo de Porto Maurício salvou e vai salvar inúmeras almas até o fim dos tempos. Aqui está o que a Igreja diz na oração do Ofício Divino, sexta lição, falando da eloquência celestial de São Leonardo: Ao ouvi-lo, até mesmo os corações de ferro e de bronze são fortemente inclinados à penitência, em razão da eficácia surpreendente do sermão e zelo ardente do pregador. E na oração litúrgica que pedimos ao Senhor, que Ele dê o poder de dobrar os corações dos pecadores endurecidos pelas obras da pregação."

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

SERMÕES DE SÃO CURA D'ARS

"Quantas pobres almas existem que perderam sua religião e sua fé! E quantos mais, nunca conseguirão abrir os olhos para ver o estado infeliz em que se encontram, a não ser depois que já tiverem caído no Inferno!..."
São Cura D'ars
Link para Download: Sermões de São Cura D'ars

domingo, 27 de janeiro de 2013

"FICAR" É PECADO OU NÃO?


Estaremos debatendo hoje mais um tema do Pastoralis: afinal ficar é pecado ou não? A sociedade moderna vive um momento em que o relativismo tomou de conta da sociedade e da cultura atual. "Tudo é permitido, tudo pode e tudo vale, o importante é ser feliz!!", frase essa e semelhantes já foi ouvida por mim com origem em diversas pessoas. Mas será que isso vale pra o católico? Uma das coisas que surgiu com a modernidade foi o "ficar". Será que pode, ou será que é improprio para o católico essa prática?

Primeiro, é necessário definirmos o que é ficar. Depois de pesquisar em vários sites de adolescentes na internet, não consegui chegar a uma conclusão específica, mas obtive algumas características. Digamos que é um relacionamento sem relacionamentos, ou seja, a pessoa estabelece um relacionamento temporário, ou seja, pode terminar a qualquer momento, com a pessoa segundo eles "pra ver se pode rolar um relacionamento sério", mas a pessoa ainda pode ficar com  outra se ela quiser. Não existe uma fidelidade e um processo de conhecimento da vida do outro.

A maioria dos jovens define o ficar como sendo propriamente um relacionamento sem compromisso e sem fidelidade. Por ser dessa forma se torna algo contraditório, pois pense bem: Como eu posso fazer esse tipo de coisa pra testar de dará certo um namoro e ao mesmo tempo eu tenho permissão pra ficar com outra pessoa?

Além disso, abrindo aqui um parênteses, existe um ficar ainda pior, este é muito mais frequente em baladas e micaretas, onde a mesma pessoa fica várias pessoas durante o evento. Esse é altamente impróprio, não se tem nem o que se pensar sobre isso. neste caso não há o que se debater. É lógico que em grau muito menor, mas se assemelha aos bacanais romanos, onde uma mesma pessoa fornicava com várias na mesma noite, lembrando que isso é uma analogia, mas em grau menor, pois no caso nosso, não estamos envolvendo o sexo.

Mas retornando ao caso anterior, o ficar, em sua natureza, não é uma coisa boa, apesar de que pode sair um fruto bom, que é um namoro. Se for um caso de fica em que ambos os relacionados busquem um relacionamento sério e se isso se edificar, se colheu um fruto bom, apesar de não ter sido de uma maneira tão boa assim.

Porém, como foi citado acima, os jovens veem isso como algo sem compromisso e sem fidelidade, portanto a tendência natural é que, caso um dos "ficantes" não queira algo sério e esteja enganando o outro, só teremos dois frutos possíveis depois disso: Aquele que enganou o outro saiu com o fardo de dois pecados, o da mentira e por ter ofendido a castidade, e aquele que queria algo sério e foi enganado saiu com seus afetos feridos.

Portanto, a conclusão que chegamos é a seguinte: VOCÊ ATÉ PODE FICAR COM ALGUÉM, contanto que possa se colher o bom fruto do namoro, MAS ISSO NÃO É REGRA GERAL, ESSE CASO É UMA EXCEÇÃO. A REGRA GERAL É QUE VOCÊ SAIA FERIDO OU COM DOIS PECADOS COMO FARDO PRA CONTAR NA PRÓXIMA CONFISSÃO. PORTANTO É BOM QUE SE EVITE, apesar de ser possível sair um bom fruto de um fica.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

CATECISMO DE SÃO PIO X


"O Catecismo de São Pio X é um pequeno e simples catecismo, escrito pelo Papa São Pio X em 1905, com o importante objectivo de popularizar o ensino do catecismo na Igreja Católica e tornar os católicos mais informados e conhecedores da sua f´[e e doutrina. Este catecismo tem também a função de resumir o Catecismo Romano, que foi um produto importante do Concilio de Trento"Fonte: Wikipédia
Link para download: Catecismo de São Pio X

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

CATECISMO ROMANO

Estaremos disponibilizando o Catecismo Romano de 1951 para download, que é muito bom para estudo pessoal tradicional, de maneira que os outros catecismos não podem ser esquecidos, pois deve existir uma hermenêutica da continuidade, de tal forma que este catecismo vale tanto quanto o editado por Bento XVI no pontificado de João Paulo II.
Link para Download: Catecismo Romano

sábado, 19 de janeiro de 2013

JURAMENTO ANTIMODERNISTA DE SÃO PIO X

Eu, N., firmemente aceito e creio em todas e em cada uma das verdades definidas, afirmadas e declaradas pelo magistério infalível da Igreja, sobretudo aqueles princípios doutrinais que contradizem diretamente os erros do tempo presente.

Primeiro: creio que Deus, princípio e fim de todas as coisas, pode ser conhecido com certeza e pode também ser demonstrado, com as luzes da razão natural, nas obras por Ele realizadas (Cf. Rm I 20), isto é, nas criaturas visíveis, como [se conhece] a causa pelos seus efeitos.

Segundo: admito e reconheço as provas exteriores da revelação, isto é, as intervenções divinas, e sobretudo os milagres e as profecias, como sinais certíssimos da origem sobrenatural da razão cristã, e as considero perfeitamente adequadas a todos os homens de todos os tempos, inclusive aquele no qual vivemos.

Terceiro: com a mesma firme fé creio que a Igreja, guardiã e mestra da palavra revelada, foi instituída imediatamente e diretamente pelo próprio Cristo verdadeiro e histórico, enquanto vivia entre nós, e que foi edificada sobre Pedro, chefe da hierarquia eclesiástica, e sobre os seus sucessores através dos séculos.

Quarto: acolho sinceramente a doutrina da fé transmitida a nós pelos apóstolos através dos padres ortodoxos, sempre com o mesmo sentido e igual conteúdo, e rejeito totalmente a fantasiosa heresia da evolução dos dogmas de um significado a outro, diferente daquele que a Igreja professava primeiro; condeno semelhantemente todo erro que pretenda substituir o depósito divino confiado por Cristo à Igreja, para que o guardasse fielmente, por uma hipótese filosófica ou uma criação da consciência que se tivesse ido formando lentamente mediante esforços humanos e contínuo aperfeiçoamento, com um progresso indefinido.

Quinto: estou absolutamente convencido e sinceramente declaro que a fé não é um cego sentimento religioso que emerge da obscuridade do subconsciente por impulso do coração e inclinação da vontade moralmente educada, mas um verdadeiro assentimento do intelecto a uma verdade recebida de fora pela pregação, pelo qual, confiantes na sua autoridade supremamente veraz, nós cremos tudo aquilo que, pessoalmente, Deus, criador e senhor nosso, disse, atestou e revelou.

Submeto-me também com o devido respeito, e de todo o coração adiro a todas as condenações, declarações e prescrições da encíclina Pascendi e do decreto Lamentabili, particularmente acerca da dita história dos dogmas.

Reprovo outrossim o erro de quem sustenta que a fé proposta pela Igreja pode ser contrária à história, e que os dogmas católicos, no sentido que hoje lhes é atribuído, são inconciliáveis com as reais origens da razão cristã.

Desaprovo também e rejeito a opinião de quem pensa que o homem cristão mais instruído se reveste da dupla personalidade do crente e do histórico, como se ao histórico fosse lícito defender teses que contradizem a fé o crente ou fixar premissas das quais se conclui que os dogmas são falsos ou dúbios, desde que não sejam positivamente negados.

Condeno igualmente aquele sistema de julgar e de interpretar a sagrada Escritura que, desdenhando a tradição da Igreja, a analogia da fé e as nosmas da Sé apostólica, recorre ao método dos racionalistas e com desenvoltura não menos que audácia, aplica a crítica textual como regra única e suprema.

Refuto ainda a sentença de quem sustenta que o ensinamento de disciplinas histórico-teológicas ou quem delas trata por escrito deve inicialmente prescindir de qualquer idéia pré-concebida, seja quanto à origem sobrenatural da tradição católica, seja quanto à ajuda prometida por Deus para a perene salvaguarda de cada uma das verdades reveladas, e então interpretar os textos patrísticos somente sobre as bases científicas, expulsando toda autoridade religiosa, e com a mesma autonomia crítica admitida para o exame de qualquer outro documento profano.

Declaro-me enfim totalmente alheio a todos os erros dos modernistas, segundo os quais na sagrada tradição não há nada de divino ou, pior ainda, admitem-no, mas em sentido panteísta, reduzindo-o a um evento pura e simplesmente análogo àqueles ocorridos na história, pelos quais os homens com o próprio empenho, habilidade e engenho prolongam nas eras posteriores a escola inaugurada por Cristo e pelos apóstolos.

Mantenho, portanto, e até o último suspiro manterei a fé dos pais no carisma certo da verdade, que esteve, está e sempre estará na sucessão do episcopado aos apóstolos¹, não para que se assuma aquilo que pareça melhor e mais consoante à cultura própria e particular de cada época, mas para que a veradde absoluta e imutável, pregada no princípio pelos apóstolos, não seja jamais crida de modo diferente nem entendida de outro modo².

Empenho-me em observar tudo isso fielmente, integralmente e sinceramente, e em guardá-lo inviolavelmente, sem jamais disso me separar nem no ensinamento nem em gênero algum de discursos ou de escritos. Assim prometo, assim juro, assim me ajudem Deus e esses santos Evangelhos de Deus.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

FESTAS E SHOWS - IR OU NÃO IR?

Abrindo a página do Pastoralis, vamos começar com um tema bem polêmico: Devemos nós como católicos, ir ou não ir para festas e shows?

A linha mais tradicional defende que não se pode em hipótese alguma, mas a linha modernista afirma que pode tudo e dão uma nova interpretação da Bíblia, do Catecismo e do Direito Canônico. Afinal, onde ficamos no meio dessa briga?

Primeiramente é necessário que tenhamos fundamento naquilo que cremos, e sabemos o por que que estamos fazendo determinada coisa. Muitas vezes se crê que não é possível a ida a essas festas devido muitas vezes a um puritanismo. A doutrina puritanista, diga-se passagem, doutrina protestante, afirma que determinada coisa tem um mal em si mesma, ou seja, a natureza da coisa é má nela mesma, afirmando que o pecado está na própria coisa.

Os verdadeiros Católicos creem que existem três tipos de coisas: As ruins, as boas e as neutras, estas que podem se tornar boas ou ruins, dependendo do que se faz com elas. DEVEMOS MUITAS VEZES EVITAR IR A FESTAS E SHOWS, NÃO POR PURITANISMO, MAS PRA EVITAR QUE SE CAIA EM PECADO! As festas e os shows são coisas que são neutras, que podem ser usadas tanto para o bem como para o mal, e o que devemos fazer diante dessas situações é pensar em dois pontos:
1 - Estarei me expondo em um lugar que poderá ser pra mim ocasião de pecado, estarei me expondo a tentação e poderei cair em pecado?
2 - Estarei sendo motivo de escândalo para os outros, ou seja, estarei dando "contra-testemunho"?

Mas já afirmara certa vez um grande Santo, Bispo e Doutor da Igreja, São Francisco de Sales, no seu mais importante livro, Filotéia:

"As danças e os bailes não são de modo algum coisas más, mas sim indiferentes, que podem ser usadas tanto para o bem como para o mal. Contudo sempre são coisas perigosas e mais ainda é o afeiçoar-se a elas. Por isso te digo Filotéia, embora não seja pecado uma dança modesta, um bom jantar, sem intemperança, contudo A AFEIÇÃO QUE SE PODERIA ADQUIRIR A ESTAS COISAS SERIA INTEIRAMENTE CONTRÁRIA A DEVOÇÃO, muito nocivo pra a nossa alma e de grande perigo para a salvação....

...NÃO DIGO QUE EM OCASIÃO NENHUMA POSSAMOS USAR ESSAS COISAS PERIGOSAS, mas digo somente que nunca poderemos apegar nessas coisas o coração sem danos da devoção"

OS BAILES E OUTROS DIVERTIMENTOS PERMITIDOS, MAS PERIGOSOS - CAPÍTULO XXXIII São Francisco de Sales (1567-1622), do livro Filotéia. (Grifo nosso)


Portanto, é visível que os leigos podem sair e ir para um restaurante, tomar um chopinho e comer com temperança, ir a uma festa com uma música "boa" (Por que música BOA MESMO, AO MEU VER, é a música clássica, as outras são boas, mas não como essa), sem conteúdo xulo, pornográfico ou que vai contra os princípios cristãos, e ir com amigos e pessoas que também busquem se comportar para que você não sente na mesa dos pecadores, como diz São Paulo, é permitido sim.

Portanto, a conclusão que chegamos é que podemos sim ir, é até "bom" irmos de vez em quando para mostrar que não somos puritanos, ou seja, não somos protestantes, MAS com muita prudência, pensando sempre se aquele lugar não me levará a cometer pecados graves ou professar algo que não convém a um cristão. Encerraremos com as palavras de um confrade da página Tradição em Foco com Roma, Rafael Vitola Brodback:

"Temos, por um lado, que nos preocupar com os demais e evitar algumas coisas que, mesmo não sendo pecado, podem provocar admiração negativa. Mas, por outro, não podemos ter uma vida espiritual neurótica.

Discussões gerais nunca são uma boa nesse sentido
Por outro lado, como cada caso é um caso. Corre-se o risco de, por uma conclusão pessoal, em um caso concreto, válido para uma situação específica e uma pessoa em especial, considerar que é uma lei geral. E aí, sim, surgem os puritanismos e as morais de listas...

O melhor é expor os princípios. O resto é a aplicação no caso concreto que cada um deve fazer em uma situação específica."

CATECISMO SOBRE O SACERDOTE - SÃO CURA D'ARS

Um ótimo direcionamento para todos os sacerdotes

Download: Catecismo sobre o sacerdote

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

VÍCIOS LITÚRGICOS


Com essa postagem, queremos esclarecer sobre alguns vícios que penetraram na liturgia da Igreja e que, em si mesmos não estão errados, mas que geram uma confusão, chegando a se pensar que eles fazem parte da liturgia, coisa que na maioria das vezes, não é verdade.

1 - PALMAS NA MISSA - As pessoas pensam, muitas vezes, que as palmas fazem parte do rito da Santa Missa, que diga-se de passagem, elas não pertencem ao rito romano.

O Papa bento XVI vem pedindo que não se batam mais palmas na Santa Missa, para que se retire essa ideia de que as mesmas fazem parte do rito. Além de não fazerem parte do rito do Sacrifício Eucarístico, gera-se um certo clima, muitas vezes, de um programa de auditório, gerando um certo sincronismo e muitas vezes, pasmem, até coreografia, chegando a ser uma dessacralização para com o Augusto Sacrifício.

AS PALMAS SÃO PERMITIDAS, pois temos um documento sobre a correta aplicação da Sacrosactum Concilium, a Liturgia Romana e a Inculturação, mas ela afirma que as palmas devem acompanhar a música e a mesma REPUDIA AS PALMAS COMO FORMA DE COREOGRAFIA OU ESPETÁCULO. Portanto, é permitido, mas é melhor que se evite para não causar confusão entre os fiéis.

2 - EM NOME DO PAI CANTADO - Esse é outro vício que deve ser retirado urgentemente da Santa Missa.

Primeiro por que, dentro do rito, essa é uma oração sacerdotal, ou seja, deve ser invocada apenas pelo sacerdote, e quando se canta, o povo canta junto, desobedecendo o rito.

Segundo por que essa oração é herética, por que a palavra NOME significa a substância de Deus. Mas lembre-se que o Filho e o Espírito são consubstanciais ao Pai, ou seja tem mesma substância, mesma natureza.

Terceiro por que colocam um cântico depois que não está presente na Liturgia "... para louvar e agradecer, bendizer e adorar..." e assim vai. Como não está no missal, nem na parte preta nem na rubrica, não pode ser feito.

3 - ENCERRAR O PAI - NOSSO LITÚRGICO COM O AMÉM - No Pai - Nosso da Missa não se tem amém, o amém na liturgia só se apresenta depois de cada liturgia - Ritos Iniciais, Liturgia da Palavra, Liturgia Eucarística, Benção Final.

4 - CÂNTICO DE ABRAÇO DE PAZ - Não existe na liturgia cântico do abraço de paz.

Na Introdução Geral ao Missal Romano recomenda, no número 82 que se recomende a paz de maneira sóbria, com é que seremos sóbrios com um cântico alegre, muitas vezes ritmado de palmas, deixando de se dar a paz para se bater palmas? Portanto é melhor que não se faça.

5 - COMUNHÃO - O Papa vem pedindo com frequência que não se dê a comunhão nas mãos, mas que se comungue diretamente na boca.

Isso se deve para que se evite sacrilégio com o Corpo de Cristo, por que muitas vezes, ao se comungar, se toca no Santíssimo Corpo e logo depois se pega em qualquer outra coisa, levando a um sacrilégio inconsciente, espalhando o Corpo de Cristo por aí.

Pede também o Papa que ao receber a Eucaristia, se faça uma reverência pelo menos ou, preferencialmente que se comungue de joelhos, para se adorar Jesus na Hóstia Santa. Não comunguemos como muitos fazem parecendo que estão recebendo e comendo um pedaço de bolacha. Comunguemos com Adoração!

Essa foi uma de muitas postagens que virão sobre os vícios litúrgicos.

Salve Maria!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

A INTERSEÇÃO DOS SANTOS


Muitas outras religiões, dentre elas os protestantes, atacam com veemência o dogma da Interseção dos santos que a Igreja Católica sempre professou durante tantos anos. Será que esse dogma é realmente verdadeiro ou isso é mais uma invenção da Igreja católica?

vejamos o que diz os três grandes pilares de nossa santa doutrina: A Sagrada Escritura, A Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério.

SAGRADA ESCRITURA

"Os quatro viventes e os vinte e quatro anciões se prostraram diante do Cordeiro. Tinha cada um uma cítara e taças de ouro cheias de perfumes, que são as orações dos santos" (Ap 5,8).

"A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus" (Ap 8,4).

Os trechos acima mencionam as orações feitas pelos santos a Deus. Será que não há interseção?

Outro exemplo é o de Abraão que intercedeu por Sodoma, e Deus aceitou a sua intercessão (Gen. 28, 26-32)

"Entretanto levantando-se uma murmuração do povo contra o Senhor, como de quem se queixava de fadiga. O Senhor, tendo ouvido isso, irou-se. E o fogo do Senhor, aceso contra eles, devorou uma extremidade do acampamento. O povo tendo chamado Moisés, Moisés orou ao Senhor e o fogo extinguiu-se" (Num. 11, 1-3).

"Parecia-lhe [Judas Macabeu] que Onias, sumo sacerdote [...] orava de mãos estendidas por todo o povo judeu [...] Onias apontando para ele, disse: 'Este é amigo de seus irmãos e do povo de Israel; é Jeremias, profeta de Deus, que ora muito pelo povo e por toda a cidade santa". (II Mac 15, 12-15)

SAGRADA TRADIÇÃO

São Cirilo de Jerusalém, em suas leituras catequéticas, escreveu por volta do ano de 350 a.C.
"Façamos menção aos já falecidos; primeiro aos patriarcas, profetas, apóstolos e mártires, que por suas súplicas e orações Deus receberá nossos pedidos"

Em sua obra Contra Fausto, Santo Agostinho escreveu:
"O povo cristão celebra unidos em solenidade religiosa a memória dos mártires, tanto para encorajar que sejam imitados e para que possam repartir seus méritos e serem auxiliados pelas suas orações"

São Cipriano de Cartago, em uma de suas epístolas afirma:
"Se um de nós partir primeiro deste mundo, não cessem as nossa orações pelos irmãos"

São João Cassiano diz também que:
"Por vezes, é a intercessão dos santos que alcança o perdão das nossas faltas"
SAGRADO MAGISTÉRIO

Assim nos ensina o Catecismo da Igreja Católica:
"Pelo fato que os do céu estão mais intimamente unidos com Cristo, consolidam mais firmemente a toda a Igreja na santidade... Não deixam de interceder por nós ante o Pai. Apresentam por meio do único Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, os méritos que adquiriram na terra... Sua solicitude fraterna ajuda, pois, muito a nossa debilidade." (CIC 956)

"As testemunhas que nos precederam no Reino, especialmente as que a Igreja reconhece como "santos", participam da tradição viva da oração pelo exemplo modelar de sua vida, pela transmissão de seus escritos e por sua oração hoje. Contemplam a Deus, louvam-no e não deixam de velar por aqueles que deixaram na terra. Entrando "na alegria" do Mestre, eles foram "postos sobre o muito". Sua intercessão é o mais alto serviço que prestam ao plano de Deus. Podemos e devemos pedir-lhes que intercedam por nós e pelo mundo inteiro." (CIC 2683)

Também nos ensina assim o Catecismo de São Pio X:
"Os bens comuns internos na Igreja são: a graça que se recebe nos Sacramentos, a Fé, a Esperança, a Caridade, os merecimentos infinitos de Jesus Cristo, os merecimentos superabundantes da Santíssima Virgem e dos Santos, e o fruto de todas as boas obras que na mesma Igreja se fazem." (CSPX 215)

"Sim, a comunhão dos Santos estende-se também ao Céu e ao Purgatório, porque a caridade une as três igrejas - triunfante, padecente e militante -; e os Santos rogam a Deus por nós e pelas almas do Purgatório, e nós damos honra e glória aos Santos, e podemos aliviar as almas do Purgatório, aplicando, em sufrágio delas, Missas, esmolas, indulgências e outras boas obras." (CSPX 222)

"É coisa utilíssima invocar os Santos, e todo o Cristão o deve fazer. Devemos invocar particularmente nossos Anjos da Guarda, São José, protetor da Igreja, os Santos Apóstolos, o Santo do nosso nome e os Santos protetores da diocese e da paróquia." (CSPX 339)

Portanto, não deixemos de rezar nunca para que os nosso Santos de maior devoção nos ajudem em nossas graças mais necessárias.

Omnes sancti, orate pro nobis!

NOVA PÁGINA - PASTORALIS


Comemorando as 7000 visualizações, o blog Catolicismo e Doutrina estará disponibilizando uma nova página: Pastoralis, com direcionamentos práticos e pastorais sobre as diversas situações nas quais a Igreja não se manifestou ainda e que causa divergências entre as várias posições teológicas dentro da Igreja.

Desejo informar que o objetivo dessa página é apenas de DIRECIONAMENTO, ou seja, aqui se encontram OPINIÕES PESSOAIS DO AUTOR, mas que serve como direcionamento em diversas situações.

Desde já quero informar que a página é de visão moderadora, não agradarei totalmente aos tradicionalistas nem aos modernistas, poia são direcionamentos espirituais para o mundo moderno, porém sem perder de vista a Tradição.

Espero que aproveite e façam bom uso...

Salve maria!

QUARESMA DE SÃO MIGUEL

Início da Quaresma: 15 de agosto a 29 de setembro (Festa de São Miguel).

No dia 20 de setembro pode-se iniciara novena em honra à São Miguel Arcanjo juntamente com as outras orações.
Todos os dias da quaresma de São Miguel:

Acender uma vela benta;
Oferecer uma penitência;
Fazer o sinal da cruz.
Rezar a oração inicial;
Rezar a ladainha de São Miguel

Oração Inicial:

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede nosso refúgio contra a maldade e as ciladas do demônio! Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos; e vós Príncipe da Milícia Celeste, pela virtude Divina, precipitai ao inferno a satanás e a todos os espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Amém
Sacratíssimo Coração de Jesus! Tende Piedade de nós. (Repetir três vezes.)

Ladainha de São Miguel

Senhor tende piedade de nós.
Jesus Cristo tende piedade de nós.
Senhor tende piedade de nós.
Jesus Cristo ouvi-nos.
Jesus Cristo atendei-nos.
Pai Celeste, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, Redentor do Mundo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo que sois Deus tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um único Deus, tende piedade de nós.

Santa Maria, Rainha dos Anjos, rogai por nós.
São Miguel, rogai por nós.
São Miguel, cheio da graça de Deus, rogai por nós.
São Miguel, perfeito adorador do Verbo Divino, rogai por nós.
São Miguel, coroado de honra e de glória, rogai por nós.
São Miguel, poderosíssimo Príncipe dos exércitos do Senhor, rogai por nós.
São Miguel, porta-estandarte da Santíssima Trindade, rogai por nós.
São Miguel, guardião do Paraíso, rogai por nós.
São Miguel, guia e consolador do povo israelita, rogai por nós.
São Miguel, esplendor e fortaleza da Igreja militante, rogai por nós.
São Miguel, honra e alegria da Igreja triunfante, rogai por nós.
São Miguel, Luz dos Anjos, rogai por nós.
São Miguel, baluarte dos Cristãos, rogai por nós.
São Miguel, força daqueles que combatem pelo estandarte da Cruz, rogai por nós.
São Miguel, luz e confiança das almas no último momento da vida, rogai por nós.
São Miguel, socorro muito certo, rogai por nós.
São Miguel, nosso auxílio em todas as adversidades, rogai por nós.
São Miguel, arauto da sentença eterna, rogai por nós.
São Miguel, consolador das almas que estão no Purgatório, rogai por nós.
São Miguel, a quem o Senhor incumbiu de receber as almas que estão no Purgatório,
São Miguel, nosso Príncipe, rogai por nós.
São Miguel, nosso Advogado, rogai por nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós Senhor.

Rogai por nós, ó glorioso São Miguel, Príncipe da Igreja de Cristo, para que sejamos dignos de Suas promessas.

Oração: Senhor Jesus, santificai-nos, por uma bênção sempre nova, e concedei-nos, pela intercessão de São Miguel, esta sabedoria que nos ensina a ajuntar riquezas do Céu e a trocar os bens do tempo presente pelos da eternidade. Vós que viveis e reinais em todos os séculos dos séculos. Amém

Ao final, reza-se:

Um Pai Nosso em honra de São Gabriel.
Um Pai Nosso em honra de São Miguel Arcanjo.
Um Pai Nosso em honra de São Rafael.

Gloriosíssimo São Miguel, chefe e príncipe dos exércitos celestes, fiel guardião das almas, vencedor dos espíritos rebeldes, amado da casa de Deus, nosso admirável guia depois de Cristo; vós, cuja excelência e virtudes são eminentíssimas, dignai-vos livrar-nos de todos os males, nós todos que recorremos a vós com confiança, e fazei pela vossa incomparável proteção, que adiantemos cada dia mais na fidelidade em servir a Deus.

V. Rogai por nós, ó bem-aventurado São Miguel, príncipe da Igreja de Cristo.
R. Para que sejamos dignos de suas promessas.

Oração: Deus, todo poderoso e eterno, que por um prodígio de bondade e misericórdia para a salvação dos homens, escolhestes para príncipe de Vossa Igreja o gloriosíssimo Arcanjo São Miguel, tornai-nos dignos, nós vo-lo pedimos, de sermos preservados de todos os nossos inimigos, a fim de que na hora da nossa morte nenhum deles nos possa inquietar, mas que nos seja dado de sermos introduzidos por ele na presença da Vossa poderosa e augusta Majestade, pelos merecimentos de Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Consagração a São Miguel Arcanjo

Ó Príncipe nobilíssimo dos Anjos, valoroso guerreiro do Altíssimo, zeloso defensor da glória do Senhor, terror dos espíritos rebeldes, amor e delícia de todos os Anjos justos, meu diletíssimo Arcanjo São Miguel, desejando eu fazer parte do número dos vossos devotos e servos, a vós hoje me consagro, me dou e me ofereço e ponho-me a mim próprio, a minha família e tudo o que me pertence, debaixo da vossa poderosíssima proteção. É pequena a oferta do meu serviço, sendo como sou um miserável pecador, mas vós engrandecereis o afeto do meu coração; recordai-vos que de hoje em diante estou debaixo do vosso sustento e deveis assistir-me em toda a minha vida e obter-me o perdão dos meus muitos e graves pecados, a graça da amar a Deus de todo coração, ao meu querido Salvador Jesus Cristo e a minha Mãe Maria Santíssima, obtende-me aqueles auxílios que me são necessários para obter a coroa da eterna glória. Defendei-me dos inimigos da alma, especialmente na hora da morte. Vinde, ó príncipe gloriosíssimo, assistir-me na última luta e com a vossa arma poderosa lançai para longe, precipitando nos abismos do inferno, aquele anjo quebrador de promessas e soberbo que um dia prostrastes no combate no Céu.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate para que não pereçamos no supremo juízo.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

ENCÍCLICA PASCENDI - SOBRE O MODERNISMO

Disponibilizamos para download a encíclica Pascendi de São Pio X, contra os erros do modernismo, que segundo o próprio São Pio X: "O modernismo é a cloaca pela qual fluíram todas as heresias".

Link para download: Pascendi - Pio X

sábado, 12 de janeiro de 2013

LEMBRAI-VOS - SÃO BERNARDO


Belíssima oração de São Bernardo, pode ser rezada todos os dias pela noite e é parte da Consagração a Nossa Senhora de São Luis de Montfort

EM LATIM

Memorare, o piisima Virgo Maria, non esse auditum a saeculo, quemquam ad tua currentem praesidia, tua implorantem auxilia, tua petentem suffragia esse derelicta.
Nos tali animati confidentia ad te, Virgo Virginum, Mater, currimus; ad te venimus; coram te gementes peccatores assistimus.
Noli, Mater Verbi, verba nostra despicere, sed audi propitia et exaudi.
Amen. 

EM PORTUGUÊS

Lembrai-vos, ó Piíssima Virgem Maria, de que nunca se ouviu dizer, que algum daqueles que tenha recorrido à vossa clemência, implorado a vossa assistência, reclamado o vosso socorro, fosse por vós abandonado.
Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, Virgem das Virgens, como Mãe recorro, de vós me valho e gemendo sob o peso de meus pecados, me prosto a vossos pés.
Não desprezeis as minhas súplicas, ó mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo.

Amém.

SUMA TEOLÓGICA - CADERNO 1 - A EXISTÊNCIA DE DEUS

A primeira parte da suma teológica, a que se refere a existência de Deus, do grande Doutor Angélico Santo Tomás de Aquino.

Link para Download: Suma Teológica - Caderno I

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

A IMPORTÂNCIA DA CASTIDADE

Diante da loucura do mundo modernista, e da decadência moral à que chegou a humanidade, a vida de castidade, o casamento monogâmico e a família tem sido um dos alvos mais afetados diante dessa revolução cultural que nos encontramos. Com essas postagens, desejamos mostrar a visão da Igreja, que é totalmente contrária à desse mundo de uma moral louca e contraditória.

"A castidade é uma virtude moral."(CIC 2345). Por Castidade a Igreja entende como sendo a Virtude pela qual o homem, através de uma vida de espiritualidade, se resguarda de sua prática sexual, esta que só é permitida dentro do casamento.

Mostraremos nas bases da nossa fé: Tradição, Escrituras e Magistério, a visão e a compreensão da Igreja de como se viver a castidade conforme a Verdade.

NA SAGRADA ESCRITURA

As Sagradas Escrituras estão preenchidas de passagens que corroboram essa nossa ideia, principalmente as cartas do Apóstolo São Paulo

"Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos" I Cor .6,9

"Fugi da fornicação. Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo." I Cor .6,9

"A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao seu marido. E da mesma forma o marido não pode dispor do seu corpo: ele pertence à sua esposa." I Cor 7, 4

Esta última passagem se remete ao fato de que os esposos se pertencem e não a outro, antes durante e depois.

NA SAGRADA TRADIÇÃO

A castidade sempre foi um desejo dos Santos durante a tradição da Igreja, na qual pregava-se que a Castidade era possível somente mediante a Graça de Deus

"A castidade duma alma é de um preço aos olhos de Deus maior que a dos anjos, pois que os cristãos só podem adquirir esta virtude pelos combates, enquanto que os anjos a têm por natureza." Santo Ambrósio

"Castidade perfeita é o mais belo florão da Igreja" Papa Pio XII

Existe uma lenda na tradição da Igreja que conta que certa vez, algumas pessoas prenderam são Tomás de Aquino em um castelo junto com uma mulher, eles o prenderam para que perdesse sua pureza (virgindade), mas “o amor de Deus é infinito, principalmente para seus filhos prediletos, os castos”; São Tomás pegou um tição de fogo e com ele começou a correr atrás da mulher e ela foi embora, logo depois, São Tomás caiu de joelhos, e com os olhos cheios de lágrimas pediu a Jesus Cristo que nunca mais permitisse tal coisa, logo em seguida lhe apareceu seu Anjo da Guarda e lhe cingiu com um cinto divino, um certo cinto de castidade, nunca mais lhe sobreveio tentação parecida.

"Todo aquele que vive casto e piedosamente na Igreja assemelha-se a uma luz celeste." São Leão Magno

NO SAGRADO MAGISTÉRIO

A Igreja como mestra e mãe sempre ensinou a prática da castidade a todos os seus fiéis.

"A pureza é um requisito para o amor. É a dimensão da verdade interior do amor no 'coração' do homem" Teologia do Corpo, Beato João Paulo II, Catequese n° 49

"Todo batizado é chamado à castidade. O cristão "se vestiu de Cristo", modelo de toda castidade. Todos os fiéis de Cristo são chamados a levar uma vida casta segundo seu específico estado de vida. No momento do Batismo, o cristão se comprometeu a viver sua afetividade na castidade." CIC 2348

"Para que a união sexual possa corresponder verdadeiramente às exigências da sua finalidade própria e da dignidade humana, o amor tem de contar com uma salvaguarda na estabilidade do matrimónio. Tais exigências demandam um contrato conjugal sancionado e garantido pela sociedade, contrato este que instaura um estado de vida de capital importância tanto para a união exclusiva do homem e da mulher quanto para o bem da sua família e da comunidade humana. " Persona Humana, Papa Paulo VI, n 7

"Quanto mais os fiéis compreenderem a valor da castidade e a função necessária da mesma, nas suas vidas de homens e de mulheres, tanto melhor eles captarão, por uma espécie de instinto espiritual, as exigências e os conselhos e melhor saberão aceitar e cumprir, dóceis ao ensino da Igreja" Persona Humana, Papa Paulo VI, n 11

"Importa, em particular, que todos tenham um conceito elevado da virtude da castidade, da sua beleza e da sua força de irradiação. É uma virtude que enobrece o ser humano e que capacita para um amor verdadeiro, desinteressado, generoso e respeitoso para com os outros." Persona Humana, Papa Paulo VI, n 12

CONSAGRAÇÃO DA CASA À NOSSA SENHORA AUXILIADORA


Ó Santíssima Virgem Maria, a quem Deus constituiu auxiliadora dos cristãos, nós vos escolhemos como Senhora e Protetora desta casa. Dignai-vos mostrar aqui e nas casas de nossos familiares, vosso auxílio poderoso. Preservai estas casas de todo o perigo: do incêndio, da inundação, do raio, das tempestades, dos ladrões, dos malfeitores, da guerra e de todas as outras calamidades que conheceis.

Abençoai, protegei, defendei, guardai como coisa vossa as pessoas que vivem nestas casas.

Sobretudo concedei-lhes a graça mais importante: a de viverem sempre na amizade de Deus evitando o pecado. Dai-lhes a fé que tivestes na palavra de Deus e o amor que nutristes para com o Vosso Divino Filho Jesus e para com todos aqueles pelos quais Ele morreu na cruz.

Maria Auxílio dos cristãos, rogai por todos os que vivem nestas casas que vos foram consagradas.

Assim seja.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

MANUAL DAS INDULGÊNCIAS


"As indulgências e o desejo de lucrá-las são um elemento da piedade católica, mas não o único. Assim, a leitura da Palavra de Deus tem um valor intrínseco que transcende a indulgência que com ela se pode ganhar.
A Igreja abre largamente o tesouro dos merecimentos de Cristo e dos Santos para ajudar nossa fraqueza. Saibamos aproveitar desta generosidade com a devida discrição."
Link para Download: Manual das Indulgências

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

ORAÇÃO PARA FINS DIVERSOS - SANTO TOMÁS DE AQUINO

Que eu chegue a ti, Senhor, por um caminho seguro e reto; caminho que não se desvie nem na prosperidade nem na adversidade, de tal forma que eu te dê graças nas horas prósperas e nas adversas conserve a paciência, não me deixando exaltar pelas primeiras nem abater pelas outras.
Que nada me alegre ou entristeça, exceto o que me conduza a ti ou que de ti me separe.
Que eu não deseje agradar nem receie desagradar senão a ti.
Tudo o que passa torne-se desprezível a meus olhos por tua causa, Senhor, e tudo o que te diz respeito me seja caro, mas tu, meu Deus, mais do que o resto.
Qualquer alegria sem ti me seja fastidiosa, e nada eu deseje fora de ti.
Qualquer trabalho, Senhor, feito por ti me seja agradável e insuportável aquele de que estiveres ausente.
Concede-me a graça de erguer continuamente o coração a ti e que, quando eu caia, me arrependa.
Torna-me, Senhor meu Deus, obediente, pobre e casto; paciente, sem reclamação; humilde, sem fingimento; alegre, sem dissipação; triste, sem abatimento; reservado, sem rigidez; ativo, sem leviandade; animado pelo temor, sem desânimo; sincero, sem duplicidade; fazendo o bem sem presunção; corrigindo o próximo sem altivez; edificando-o com palavras e exemplos, sem falsidade.
Dá-me, Senhor Deus, um coração vigilante, que nenhum pensamento curioso arraste para longe de ti; um coração nobre que nenhuma afeição indigna debilite; um coração reto que nenhuma intenção equívoca desvie; um coração firme, que nenhuma adversidade abale; um coração livre, que nenhuma paixão subjugue.
Concede-me, Senhor meu Deus, uma inteligência que te conheça, uma vontade que te busque, uma sabedoria que te encontre, uma vida que te agrade, uma perseverança que te espere com confiança e uma confiança que te possua, enfim.
Amém.

domingo, 6 de janeiro de 2013

COMO A IGREJA CATÓLICA CONSTRUIU A CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL

O livro que tem dado uma nova visão histórica da Igreja Católica em seu período considerado como Idade das Trevas. O historiador Thomas Woods mostra como a Igreja católica construiu a estrutura da civilização ocidental.

Link para Download: Como a Igreja Católica construiu a civilização ocidental

sábado, 5 de janeiro de 2013

PREPARAÇÃO PARA A MORTE - SANTO AFONSO

descrição do livro segundo o próprio Santo Afonso: "Pediram-me algumas pessoas que lhes proporcionasse um livro de considerações sobre as verdades eternas e que se destinasse às almas zelosas de sua perfeição e do progresso no caminho da vida espiritual. Outras reclamavam um compêndio de matérias próprias para as prédicas em missões e exercícios espirituais. Para não multiplicar livros, trabalhos e despesas, entendi ser conveniente escrever a obra presente na forma que se vai ler, a fim de que possa servir para ambos os fins."

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

2ª AULA - O PECADO E A GRAÇA

video
Continuando nossas aulas de doutrina: O pecado e a Graça. Definição de pecado, como combate-lo e como ter uma vida de Graça.

Também estará disponível para download as aulas em vídeo e também em áudio apenas.
Bons Estudos!

Download do áudio (mp3): O PECADO E A GRAÇA
Download do vídeo (mp4): O PECADO E A GRAÇA
Download do material da aula - Catecismo da Igreja Católica: CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA